LusoBrasilAcadêmico

  1. Home
  2. /
  3. Cost of living in Portugal in 2022

Portugal se tornou um dos principais destinos de brasileiros que buscam outro país para morar. 

Inicialmente, o grande fluxo era liderado pelos aposentados, que viam no país uma oportunidade de passar a terceira idade de forma tranquila. Contudo, nos últimos anos, o país tem demonstrado ser um grande atrativo tanto aos estudantes, quanto aos profissionais que pretendem o reconhecimento das suas  habilitações acadêmicas.

Outro ponto muito relevante que tem atraído a atenção de brasileiros para o país é o seu custo de vida. 

Você sabia que Portugal tem um dos custos de vida mais baratos da Europa, sendo o mais barato de toda a Europa ocidental?

Portugal High Resolution Euro Concept

A fim de esclarecer mais sobre essa questão, preparamos esta página para tratar sobre os principais pontos que envolvem qualidade de vida e custo de vida em Portugal, considerando o salário mínimo de 740 euros em 2022.

Como funciona o sistema de saúde em Portugal?

Em Portugal, existe a opção de utilizar o sistema público de saúde, como o sistema privado de saúde.

Sistema Nacional de Saúde (SNS) é o responsável por atender a população em geral no país. Apesar do sistema ser público, ele não é totalmente gratuito. Algumas taxas podem ser cobradas, embora alguns atendimentos possam sair de graça para o cidadão.

As taxas moderadoras são pagas por meio de um valor simbólico e variam de acordo com a complexidade de cada caso. A consulta de medicina familiar custa 4 ou 5 euros. Por outro lado, uma consulta com especialista custa 7 euros. Nos hospitais, o valor sobe um pouco, sendo a urgência básica uma média de 14 euros e a urgência médico-cirúrgica custa 16 euros.

Os centros de saúde, similares ao que conhecemos como Posto de Saúde no Brasil, são elementos centrais do SNS. Todo cidadão que busca ajuda médica deve passar por um centro de saúde para realizar a sua inscrição para atendimento local, antes de ir ao hospital em caso de urgência. 

Alguns cidadãos são isentos de taxas, tais como: grávidas; bombeiros; crianças e jovens com menos de 18 anos; refugiados, entre outros. Vale destacar que todos os residentes de Portugal possuem direito ao atendimento no Sistema Nacional de Saúde, sem restrição. 

Além do sistema público de saúde, o cidadão pode optar pelo uso do sistema privado de saúde. 

Quanto ao sistema de saúde privado, também é importante conhecer mais sobre os seguros de saúde em Portugal (planos de saúde). Assim como no Brasil, os valores variam de acordo com cada plano e suas particularidades, como: cobertura; carência; número de dependentes; entre outros. 

Naturalmente, para esta alternativa, é necessário pagar um valor mais elevado. Os valores variam de acordo com cada região. 

Ainda assim, vale muito a pena contratar um plano, pois o valor final da consulta com uso do seguro saúde fica em torno de 10% a 15% do valor que seria cobrado sem a utilização do seguro. Uma consulta com especialista sem seguro pode chegar a 80 Euros e o atendimento de emergência a 100 euros, portanto, com um seguro, o utente pagaria entre 8 Euros e 15 Euros pela mesma consulta.

O transporte público é um dos serviços mais eficientes do país, seguindo uma tendência do que ocorre na Europa. E isso é verdade tanto para a micromobilidade quanto para o transporte interurbano, ou entre diferentes regiões do país.

Quando falamos em micromobilidade, estamos nos referindo, principalmente, ao uso das bicicletas. As cidades portuguesas são bastante densas e o trabalho, lazer e comércio se encontram a poucos quilômetros de distância da moradia. Desse modo, é possível fazer o deslocamento de bicicleta ou mesmo a pé.

Além disso, cidades como Lisboa possuem uma excelente rede de transporte público, com bondes, ônibus (autocarro), metro e elevadores. 

Existem duas opções de bondes na cidade de Lisboa: os tradicionais e os elétricos. Ambos servem para o transporte, e a principal diferença é que os elétricos são mais modernos — os famosos VLT (Veículos rápidos sobre trilhos).

Em toda Portugal, os bondes são comuns. Existem também outras opções de transporte, como teleféricos, barcas ou até mesmo o táxi ou Uber.

Vale destacar que nas principais cidades de Portugal, como Lisboa, Porto e Braga, existem mais opções de transporte. Em cidades de algumas regiões menos densamente povoadas, como algumas no norte, no centro e no Alentejo, as opções são mais restritas.

Outra questão que deve ser destacada quanto ao transporte público em Portugal são os passes mensais. Os valores dos passes variam de acordo com cada cidade. 

Em Lisboa, o valor é 40 euros. Enquanto que o valor do bilhete unitário de metrô é 1,5 euros. No Porto, 30 euros. Em Faro e Coimbra, regiões muito atrativas para estudantes, os custos são de 27,85 e 30 euros respectivamente. Esses são os valores do transporte municipal. Para a região metropolitana (grande Lisboa e grande Porto), os valores dos passes mensais costumam subir cerca de 10 euros.

Outro ponto é que em Lisboa o cartão recarregável custa 7 euros, enquanto em Porto e Coimbra, 6 euros. Em Faro, não há cobrança de taxa.

Portugal é a terra natal de diversos poetas, escritores e pensadores. Fernando Pessoa, Camões, Eça de Queiroz, Saramago, entre outros, indicam que o nível educacional do país é bastante elevado. Além disso, caminhando pelas cidades portuguesas podemos observar diversas bibliotecas públicas, assim como pequenas livrarias e os populares sebos. De fato, o país tem grande preocupação com a Educação em todas as fases da educação. O ensino básico em Portugal é dividido em três ciclos:
  •   1º ao 4º ano de escolaridade;
  •   5º ao 6º ano de escolaridade;
  •   7º ao 9º ano de escolaridade.
A idade obrigatória para começar a estudar em Portugal é com 6 anos de idade. Antes disso, as crianças podem ter acesso às creches da rede público-privada. Contudo, as vagas são bem concorridas e há uma boa probabilidade de não conseguir vagas.

Os valores das creches variam de 200 euros a 300 euros. Vale destacar também que o ano letivo no país começa em setembro.


Após o ensino básico, temos o ensino secundário, equivalente ao ensino médio no Brasil. Este ciclo vai do 10º ao 12º ano. Quanto ao ensino superior, existem muitas opções de ensino público e privado no país, como poderá ser consultado nas diversas páginas do site da LBA.

Um dos principais fatores que fazem os brasileiros sair do Brasil é a questão da segurança pública. E por essa mesma questão, Portugal é o destino de muitas dessas pessoas, pois é um dos países mais seguros da Europa, tanto no que diz respeito aos crimes violentos, quanto a crimes de menor gravidade.

Existem vários fatores que são apontados por especialistas para isso. O país ser pequeno contribui bastante. Logo, torna-se mais fácil instalar políticas públicas de segurança pública universais. Além disso, a questão cultural também deve ser levada em consideração.

Outro fator que pode ser mencionado está na própria arquitetura tradicional portuguesa, que permite uma completa visibilidade das ruas a partir das edificações, evitando assim as ruas desertas muito comuns pelo Brasil.

Todas essas características levam Portugal a ser um dos países mais seguros da Europa, fato que é corroborado por números. Segundo dados do Índice Global da Paz de 2021, Portugal é o terceiro país mais seguro da Europa, atrás apenas da Islândia, uma pequena ilha do norte da Europa com apenas 300 mil habitantes, e da Dinamarca. 

E no mundo inteiro, Portugal se encontra atrás apenas da Nova Zelândia, Islândia e Dinamarca. Ou seja, é o quarto país mais seguro do mundo! Quem busca segurança, o país é a escolha certa.

A segurança pública no país é dividida entre diferentes tipos: segurança nacional (GRN – Guarda Nacional Republicana), PSP (Policia de Segurança Pública) e PJ (Polícia Judiciária). Cada uma destas apresenta funções e objetivos distintos, a fim de otimizar a manutenção da segurança.

Portugal é um país com vários séculos de existência. Suas cidades são igualmente antigas e existe no povo português um grande orgulho de sua cultura e história, incluindo sua arquitetura. Desse modo, a construção de novos prédios residenciais, apesar de estar vindo a expandir, ainda é pontual. Assim, a grande maioria das casas nos centros urbanos estão localizadas em prédios seculares ou com muitas décadas de construção.

Apesar disso, o grande fluxo migratório dos últimos anos tem elevado a demanda por moradia em Portugal, de modo que vemos novas construções nas regiões metropolitanas. 

Dessa forma, a questão da moradia é uns fatores mais relevantes para o custo de vida em Portugal, sendo este um dos fatores que mais encarece o custo de vida no país.

Os imóveis costumam ser mais caros na cidade de Lisboa e regiões próximas. Enquanto isso, os preços de imóveis costumam ser mais baratos em outras cidades, como Braga.

Em Lisboa, Porto e Faro o aluguel de um apartamento de 1 quarto custa a partir de 600 euros. Já um apartamento de 2 quartos custa a partir de 750 euros. Em Coimbra, cidade tradicionalmente universitária, ou outra opção bastante procurada, Braga, o apartamento de 1 quarto custa a partir de 450 euros de aluguel em média. Já os apartamentos de 2 quartos, 550 euros.
 
Já nas áreas metropolitanas, encontram-se boas opções de moradia a partir de  322 euros.  Custos com serviços básicos como eletricidade, gás, água e lixo rondam os 130 euros para duas pessoas.
 
Para todos os casos, há a possibilidade de alugar apenas um quarto, que torna a moradia mais barata. Em geral, os preços podem reduzir a ⅓ do valor total com todos os serviços básicos incluídos!

O custo com alimentação no Brasil é bastante elevado e esse valor tem crescido bastante nos últimos anos. Desse modo, o primeiro ponto positivo que podemos apresentar sobre esse aspecto é que Portugal apresenta um custo mais baixo para alimentação.

Além disso, os alimentos em Portugal são de melhor qualidade, contendo menos sódio e outros elementos que trazem malefícios para a saúde. Por isso, quem deseja morar em Portugal pode ficar tranquilo. É possível economizar bastante comendo em casa e comprando em supermercado.

Confira o preço médio de alguns itens básicos:
  • Batata (kg)- 0,86€;
  • Arroz (kg) – 0,90€; 
  • Pão (kg) – 1,10€; 
  • Ovos (dúzia) – 1,68€
  • Banana (1 kg) – 0,90€;
  • Leite (litro) – 0,60€.

No geral, o gasto mensal com as compras em supermercado dificilmente ultrapassa os 150 euros.

Para aqueles que preferem comer fora de casa, as notícias não são nada alarmantes. O preço em bares, restaurantes e cafés não é de outro mundo. Evidentemente, existem opções para todos os bolsos e gostos, mas a média não é nenhum ponto fora da curva.

Se você gosta de beber, existem muitas opções de vinhos baratos em Portugal. Esses vinhos podem ser consumidos tanto em diversos bares e cafés do país, como em casa. Existem vinhos nos supermercados que chegam a custar 1 Euro.

Há opções de comida para todos os gostos. Devido à intensa imigração brasileira no país, existem diversos restaurantes que servem comida tipicamente brasileira. Além disso, é possível encontrar com grande frequência restaurantes de comida chinesa, indiana, japonesa e italiana.

Entre em contato conosco para mais informações!

Você também poderá ver...